As instalações de óleo térmico geralmente consistem em um sistema primário e um ou mais circuitos secundários, também conhecidos como usuários.

O circuito primário consiste em uma caldeira de aquecimento, bomba(s), tubulação, tanque de armazenamento, tanque de expansão, possivelmente um trocador de calor, etc. que é construído como um circuito. Claro equipado com as unidades de proteção de pressão e temperatura necessárias.

A caldeira aquece o óleo térmico, a bomba circula o óleo no circuito primário.

As instalações de óleo térmico podem ser equipadas com os chamados economizadores. São unidades instaladas no sistema de gases de escape da caldeira que recuperam o calor e melhoram a eficiência em alguns por cento.

Nos circuitos secundários, ou seja, as partes da instalação térmica que estão conectadas aos usuários (pode ser um vaso de reator, um túnel de secagem ou qualquer outro), liberarão o calor necessário através de válvulas controladas.

O óleo resfriado é bombeado de volta ao circuito primário para ser reaquecido pela caldeira. Ficará claro que a capacidade da caldeira depende do tamanho dos circuitos secundários e do calor necessário por circuito.

Em cada instalação de óleo térmico, todos os circuitos são protegidos contra sobrepressão, temperaturas muito altas e/ou muito baixas, e o fluxo de líquido é medido constantemente. Quando a(s) bomba(s) falha(m), a caldeira desliga-se automaticamente para evitar o sobreaquecimento e/ou combustão do óleo térmico.

A grande maioria das instalações de óleo térmico até 350°C são praticamente sem pressão (apenas a pressão da bomba) e operam na fase líquida do óleo térmico. Em temperaturas acima de 350°C, a pressão pode subir até 10 bar.

Além da fase líquida, as instalações de óleo térmico operando acima de 350°C também podem operar na fase gasosa do líquido térmico, dependendo do desejo do cliente ou do projeto da instalação.

Contacte-nos sem compromisso